Chuvas de verão: redobre os cuidados no seu condomínio

Com a chegada do verão no Brasil, as altas temperaturas vêm acompanhadas de muitas chuvas. Em inúmeros casos, como vimos recentemente na mídia, pode ocasionar enchentes, deslizamentos de terra e, consequentemente, a perda de bens materiais e até mesmo de vidas, caso a população não redobre os cuidados necessários.

Mas como evitar essas tragédias no seu condomínio? Nesse texto, daremos algumas dicas para ter mais segurança antes, durante e depois das chuvas, além do que fazer ou não nesses casos.

Cuidados antes da chuva

No condomínio, síndicos e gestores do empreendimento devem checar todas as estruturas das áreas comuns como uma forma de prevenção. Vale destacar os itens abaixo:

  • Limpe todos os ralos, grelhas, calhas nos subsolos, térreo e terraços;
  • Verifique o estado das árvores, arbustos e, caso necessário, solicite as podas;
  • Revise o sistema de segurança abastecido por gerador, em caso de falta de energia;
  • Se atente às fachadas. Verifique se não há vidros soltos, pastilhas e outros materiais que possam se soltar em caso de vendavais e causar acidentes.

Além de emitir alerta de chuvas e interditar áreas de risco, a Defesa Civil do Estado de Minas Gerais também informa à população sobre alguns cuidados para evitar maiores problemas, como os citados abaixo:

  • Guarde documentos e objetos de valor em sacos plásticos bem fechados;
  • Não jogue lixo em bueiros e não retire a vegetação das encostas;
  • Feche as portas, janelas e o registro de entrada de água;
  • Desconecte os aparelhos elétricos da corrente elétrica para evitar curtos-circuitos;
  • Retire os animais de estimação de casa.

Durante as tempestades

Nunca coloque sua vida em risco, mesmo que seja para salvar documentos ou objetos de valor e lembre-se:

  • Tenha um lugar seguro, onde você e sua família possam se alojar no caso de inundação;
  • Evite contato com a água da enchente, ela é contaminada e pode provocar doenças;
  • Não fique sob árvores ou próximo a postes de energia elétrica;
  • Se notar que seu carro pode ficar alagado, abandone o veículo e procure um local seguro;
  • Evite campos de futebol e locais abertos.

No caso dos condomínios, é necessário que o síndico tenha o telefone de emergência de todos os moradores.  Com o risco de alagamento da garagem, por exemplo, os condôminos devem ser alertados para que tomem providências no caso de veículos estacionados.

Após a chuva

Após a chuva, observe como se encontra o terreno e a estrutura do seu imóvel, caso encontre alguma anomalia, entre em contato com a Defesa Civil e eles darão as devidas orientações.

  • Observe a estrutura de sua casa e do seu condomínio, principalmente se surgiu alguma rachadura após a chuva ou algum ponto de alagamento;
  • Em caso de garagens subterrâneas, verifique a possibilidade de instalar barreiras de contenção e bombas para drenar a água da chuva;
  • Caso a chuva tenha entrado em seu imóvel, remova a lama e o lixo do chão, das paredes, dos móveis e utensílios;
  • Não use equipamentos elétricos que tenham sido molhados;
  • Lave e desinfete os objetos que tiveram contato com as águas da enchente;
  • Evite beber água ou comer alimentos que tiveram contato com as águas da inundação, pois eles podem estar contaminados.

Se proteja contra os imprevistos causados pela chuva

Apesar de todos os cuidados citados acima, infelizmente, não podemos prever todos os acidentes causados pelas chuvas e, por isso, o melhor a se fazer é investir em um seguro residencial ou contra terceiros para evitar maiores prejuízos.

Com isso, ao cuidar da nossa segurança, nossa saúde e daqueles que amamos, o melhor a se fazer é procurar alternativas que nos resguardem em diversas situações. O seguro residencial, por exemplo, é uma modalidade bem vantajosa, pois o valor é muito acessível e, com ele, é possível proteger o seu imóvel de diferentes adversidades.

O seguro residencial tem como objetivo proteger um imóvel contra incêndios, raios e explosão, danos elétricos, roubos e furtos, vendaval e granizos, quebra de vidros, responsabilidade civil familiar contra terceiros, e outras tantas coberturas adicionais disponíveis, que no momento da ocorrência de um evento de sinistro, podem custar muito caro para o morador do imóvel.

Além das coberturas padrões, é possível ampliar o número de proteções de acordo com as necessidades do segurado e de seu imóvel. As coberturas opcionais são:

  • Danos elétricos;
  • Roubo e furto de bens;
  • Vendaval, ciclone, furacão, tornado e granizo;
  • Impacto de veículos (no caso do seguro residencial de casas);
  • Quebra de vidros, espelhos, mármores e granitos;
  • Responsabilidade Civil Familiar;
  • Vazamento ou ruptura de tubulações;
  • Desmoronamento (no caso de seguro residencial para casas);
  • Placas solares (no caso de seguro residencial para casas);
  • E assistência 24h para serviços na residência, que surgem por meio de problemas comuns no dia a dia, como: encanamento entupido, troca de fechadura da porta e demais reparos que demandam atendimento de um profissional específico.

Como proceder em casos de sinistros?

Em caso de sinistros, o segurado deve entrar em contato com a sua corretora de seguros, formalizar a ocorrência, aguardar a regulação do sinistro por parte de um vistoriador, representante da Seguradora, que vai analisar o evento ocorrido, levantar os danos causados e enviar para a Seguradora para análise, e aguardar o segurado receber o reembolso.

Quer saber mais sobre esse e outros assuntos? Então não deixe de acompanhar também as redes sociais da PACTO!

 

Deixe um comentário